PEDOFILIA

14/05/2015 12:53

PEDOFILIA

"UMA CRIANÇA ABUSADA É UM MORTO SEM TÚMULO."

Caro leitor para facilitar a escrita iremos citar sempre o sexo masculino, mas para que se caracterize ato libidinoso este pode ser praticado contra crianças de ambos os sexos e o pedófilo também pode
ser homem ou mulher.

Este é um assunto que eu sempre tive imensa curiosidade em estudar, mas por diversos motivos não o fiz, porém após assistir uma palestra proferida pela Sargento Tania Guerreiro, http://sargentotaniaguerreiro.blogspot.com.br/ decidi estudar com maior afinco o tema.

A PEDOFILIA é o desvio sexual, na qual a atração sexual de um indivíduo adulto ou adolescente está voltada
primeiramente para crianças que ainda não atingiram a puberdade ou no início desta. A PEDOFILIA é caracterizada pela atração por crianças com o objetivo da prática de obscenidades ou de atos libidinosos.

Caracteriza-se pela atração sexual de adultos ou adolescentes por crianças. O simples desejo sexual, independente da realização do ato sexual, já caracteriza a pedofilia. Não é preciso, portanto que ocorram relações sexuais para haver pedofilia. O fato de ser considerada um transtorno, não reduz a necessidade de campanhas de esclarecimento visando a proteção de nossas crianças e adolescentes e nem tira a responsabilidade do pedófilo pela transgressão das barreiras geracionais.

"A palavra PEDOFILIA vem do grego παιδοφιλια (paidophilia) onde παις (pais, "criança") e φιλια (philia,
"amizade", "afinidade", "amor", "afeição", "atração", "atração ou afinidade patológica" ou "tendência patológica",

Regra geral para ser condenado como pedófilo a pessoa tem que ter idade superior a 18 anos, todavia, segundo critérios adotados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), adolescentes de 16 a 17 anos também podem ser classificados como tal, se estes tiverem uma preferência sexual persistente ou predominante por crianças pré-púberes pelo menos cinco anos mais novas do que eles.

A OMS classifica a PEDOFILIA como uma desordem mental e de personalidade do adulto e também como um
desvio sexual. Os atos sexuais resultantes de coito ou não é um crime previsto na legislação de diversos países e em alguns destes o assédio sexual por meios virtuais também constitui crime.

A Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança definiu que os países signatários devem tomar todas as medidas legislativas, administrativas, sociais e educacionais adequadas à proteção da criança, inclusive no que tange à violência sexual.

Mesmo indo na contramão do entendimento dominante, alguns especialistas acreditam que a atração sexual por crianças é por si só um tipo de orientação sexual.

Pelo fato da criança não estar preparada psicologicamente para o estímulo sexual, a vítima da PEDOFILIA acaba desenvolvendo problemas emocionais quase que incuráveis, exatamente pelo fato de não ter habilidade diante deste tipo de estimulação.

Na grande maioria dos casos a vítima não leva ao conhecimento de outras pessoas que está sendo vítima, pois têm medo de falar a alguém o que se passou ou está se passando com ela.

O dano emocional e psicológico é devastador e os abusos podem ocorrer na família, através do pai, da mãe, do
padrasto ou madrasta, do irmão ou irmã ou outro parente qualquer. Também pode ocorrer fora de casa, como por exemplo, na casa de um amigo, na casa de pessoa que toma conta da criança, na casa do vizinho, do professor, ou seja, de qualquer lugar e o agressor pode ser qualquer pessoa.

A criança com aproximadamente cinco anos, mesmo conhecendo a pessoa que a abusa, fica em conflito entre a lealdade do pedófilo e a percepção das atividades sexuais, atividades estas que estão lhe fazendo mal terrível tanto físicos quanto psicológicos. E para aumentar ainda mais este conflito a vítima pode experimentar uma profunda sensação de solidão e abandono. Quando a criança é abusada por parentes ela passa a ter medo de visitá-las, medo de vingança ou da vergonha dos outros membros da família levando-a ao medo que a família se acabe ao descobrir o seu segredo.

Quando o abuso é prolongado à criança desenvolve uma perda violenta da autoestima e passa a ter a sensação que ela não vale nada e sua sexualidade passa ser anormal e com isso ela torna-se retraída, perdendo com isso a confiança em todos os adultos e pode pensar em suicidar-se, principalmente diante da possibilidade da pessoa que a abusa a ameaçar de violência. As crianças abusadas passam a ter inúmeras dificuldades em estabelecer relações harmônicas com outras pessoas, podendo precocemente abusar de outras crianças e inclinar-se a prostituição bem como podem ter sérios outros problemas quando adultos.

As vítimas de PEDOFILIA ficam aterrorizadas, confusas, e com medo de contar sobre o incidente, com isso permanecem em silencio pois não desejam prejudicar o abusador ou provocar a desagregação da família ou ainda por medo de serem consideradas culpadas ou castigadas. As crianças acima de cinco anos passam a sentir-se envergonhadas com o ataque de um Pedófilo principalmente se ele é da família.

A vítima de PEDOFILIA passa a ter mudanças de comportamento, alterações no apetite, no sono, passa a manter-se isolada, ficando muito perturbada quando ela ficar isolada ou quando o abusador estiver na sua
proximidade.

A OMS define a pedofilia como "Preferência sexual por crianças de ambos os sexos, geralmente pré-púberes".

O Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, da Associação de Psiquiatras Americanos, define uma
pessoa como pedófila caso ela cumpra os três quesitos abaixo:

Nos primeiros seis meses o pedófilo tem uma intensa atração sexual, fantasias sexuais por pessoas com idade inferior a 13 anos ou que ainda não tenha entrado na puberdade. O criminoso decide realizar seus desejos
sexuais e têm seus desejos afetados por este comportamento e estes desejos acabam lhe causando estresse ou dificuldades intra e/ou interpessoais. Pedófilo tem mais de 16 anos de idade e é no mínimo 5 anos mais velha que a vítima.

O ato sexual em si não precisa estar presente, a pedofilia pode ser caracterizada apenas pela presença de fantasias e/ou desejos sexuais, todavia se faz necessária a prova da prática de um dos três atos acima descritos.

Os especialistas não consideram crime de pedofilia o namoro entre indivíduo com mais de 12 anos envolvidos em um relacionamento amoroso com outra pessoa com mais de 17 anos.

A OMS considera que a adolescência ocorre entre 10 a 20 anos e para tanto considera apenas critérios biológicos como a puberdade, a gravidez precoce e a saúde do adolescente. Ao considerar aspectos sociais e econômico é levado em consideração que a adolescência ocorre entre os 13 e 18 anos. No Brasil o ECA define que a adolescência se dá entre 12 a 18 anos.

Alguns estudiosos procuram a causa ou as causas da PEDOFILIA, porém via e regra estas são desconhecidas, todavia esses estudiosos são da seguinte opinião:

1 - A maioria das crianças que sofrem de abusos não se tornam PEDÓFILOS quando adultos.

2 - Alguns pesquisadores têm admitido correlação entre a pedofilia e algumas características
psicológicas, como a autoestima e a baixa habilidade social.

3 - Os pedófilos têm atividade cerebral distinta.

4 - Os adultos que foram vítimas de pedofilia não relatam terem sofrido abusos sexuais.

5 - Alguns estudiosos relatam descobertas como a preferência sexual por crianças e não a definição de comportamento como a estrutura e o funcionamento do cérebro.

6 - Alguns estudiosos concluíram que há de fato alguma evidência de que homens pedófilos tem menos testosterona do que aqueles no grupo de controle, mas que a pesquisa é pobre e que é difícil tirar qualquer conclusão firme a partir dela.

7 - Mães de pedófilos tem maior probabilidade de terem passado por tratamento psiquiátrico, a hipótese genética é mais provável.

Diversas técnicas de tratamento da pedofilia são desenvolvidas atualmente e muitos veem estes
problemas com altíssimo grau de resistência contra a interferência psicológica e são da opinião que tratamentos e estratégias com o objetivo de tratar este problema são ineficientes.  Alguns por sua vez são crentes que a pedofilia poderia ser melhor tratada se a comunidade médica tratasse o assunto com mais atenção. Em suma, as taxas de casos de tratamentos bem sucedidos são muito pequenas.

Dentre algumas técnicas que são aplicadas para o tratamento de um pedófilo são: "Sistema de suporte de doze passos", paralelo à terapia de vícios; Medicações antiandrogênicas pois esta medicação diminuem níveis de
testosterona; Terapia cognitivo-comportamental onde o pedófilo aprende a associar o "comportamento pedofílico" com diversos atos considerados não-desejáveis; Programas que induzem o "pedófilo a associarem o comportamento ilegal com dor, através da controversa terapia de aversão, onde choques elétricos são induzidos ao pedófilo enquanto este está fantasiando."

Como método de controle da PEDOFILIA a castração química autorizada judicialmente é um procedimento que tem mostrado alguns resultados. De forma voluntária os pedófilos poderão optar pela castração química e com
isso estarão diminuindo a sua libido, evitando-se abusos sexuais. Estão disponíveis também medicamentos para o câncer de Próstata, hormônios femininos, pois estes reduzem a libido masculina, porém temos que levar em consideração que estes induzem a feminilização do corpo masculino, podendo ocasionar o crescimento de glândulas mamárias naturais.

Os números abaixo citados carecem de fontes de dados fidedignos, todavia segundo estimativas extraoficiais apresentaremos alguns números colhidos através de inúmeras pesquisas, ou seja, um quarto de todos os homens adultos podem apresentar algum excitamento sexual com relação às crianças. Os homens que não possuem preferências desviantes mostraram reações sexuais positivas em relação a crianças do sexo
feminino entre seis e oito anos de idade e segundo levantamento realizados 21% disseram ter alguma atração sexual por algumas crianças, 9% afirmaram terem fantasias sexuais envolvendo crianças, 5% admitiram masturbarem-se por causa destas fantasias, e 7% concederam alguma probabilidade de realizar ato sexual com uma criança, caso pudessem evitar serem descobertos e punidos por isto.

Após diversos tratados internacionais a ONU obriga todas as nações a adotarem medidas objetivando a proteção das crianças e adolescentes do abuso, ameaça ou lesão a sua integridade sexual, todavia, na maioria dos países a emancipação de crianças e adolescentes não é um instituto reconhecido no que tange à vida sexual de um menor de idade, porém temos alguns países onde é proibida a utilização da Internet para recrutar menores objetivando a realização do ato sexual, seja este virtual ou real.

A PEDOFILIA É UM CRIME DE AÇÃO PÚBLICA, OU SEJA, A DENÚNCIA PODE SER FEITA POR QUALQUER PESSOA INDEPENDENTEMENTE DA AUTORIZAÇÃO DOS PAIS OU RESPONSÁVEIS PELO MENOR.

Existem alguns países onde as pessoas com histórico de atividades sexuais com crianças são proibidas
de se encontrarem com as mesmas, de possuírem brinquedos infantis e equipamentos com acesso à rede mundial de computadores pois muitos especialistas acreditam que os pedófilos satisfazem seus desejos sexuais por estes meios virtuais.

No Brasil a pornografia infantil também é crime e pedófilo pode ser condenado a pena de prisão de dois a seis anos e multa. Segundo o ECA estará cometendo crime quem presentear, produzir, vender, fornecer, divulgar ou publicar, por todos os meios de comunicação, fotografias ou imagens com pornografia ou cenas de sexo explícito envolvendo criança ou adolescente.  A divulgação de links para endereços contendo pornografia infantil também é considerado como crime de igual gravidade.

A PEDOFILIA não é tipificada como tipo penal pela lei brasileira, estes casos são enquadrados como estupro de vulnerável e a pena pode variar de oito a quinze anos de reclusão e considerados crimes hediondos.

E para piorar temos líderes nas mais diversas entidades religiosas que já foram condenados pelo crime de pedofilia. A igreja católica já reconheceu que 4% dos seus padres são pedófilos e isso representa cerca de 20 mil sacerdotes em todo o mundo.
Procuramos saber sobre líderes de outras religiões que estão envolvidos com pedofilia, todavia, não fomos felizes na pesquisa.

Na infância e na adolescência a escola pode ser um local propício para detecção, intervenção e fatores de proteção que diminuam a violência e seu impacto sobre o desenvolvimento das ofensas sexuais contra crianças e adolescentes.

No Brasil cerca de sete crianças sofrem abusos sexuais por hora. Na grande maioria dos casos o pedófilo é uma pessoa conhecida da vítima e esta confia e ama. Por este motivo as ofensas são difíceis de serem combatidas ou evitadas, pois a criança sente medo, culpa, vergonha, e se mantem em silêncio quando fala com a maioria das pessoas, não acredita ou se omite ao fato e a ficar sob o domínio do ofensor. Estes fatores dificultam a identificação das ofensas sexuais. Além do mais em mais da metade dos casos as ofensas sexuais não deixam vestígios físicos. Por outro lado deixam consequências psicológicas para o resto da vida.  É preciso quebrar o silêncio que protege os pedófilos e criar um ambiente seguro para as vítimas de pedofilia. A
conscientização da família, dos professores, da sociedade como um todo, devem ser estratégicas fundamentais para o combate da violência infantil. Mas antes de tudo a criança precisa ser amada, receber afeto, atenção, dedicação,
respeito, proteção, Algumas crianças gostariam que seus pais fossem animais irracionais. Abuso sexual não é historinha para dormir, portanto fiquemos atentos!

Tomem muito cuidado com os pedófilos, pois eles são sedutores, compram balas, sorvetes, refrigerantes, presentes, convidam a criança para ir a lugares que ela gosta etc.

Não permita que seu filho seje fotografado na escola, ou em qualuer outro lugar, por qualquer pessoa que não seje da sua inteira confiança.

Banheiros públicos são um perigo, tomem muito cuidado quando o seu filho ou filha entrar em um banheiro público. Acompanhe-a. Independente da idade do seu filho, fale a verdade e  oriente-o.

As crianças vítimas de pedofilia apresentam os seguintes sinais: Passa a ser uma criança medrosa, passa a ter o sentimento de ser má e de pouco valor; Fica isolada, porque se sente diferente das outras crianças e este isolamento pode levá-la a depressão; É levada ao consumo de drogas e ao alcoolismo; Tem a autoestima
enfraquecida, com tendência de praticar suicídio; Tem pesadelos e urina frequentemente na cama; Tem comportamentos sexualmente explícitos podendo leva-la a prostituição; Come compulsivamente ou tem ausência de apetite; Sente tonturas, ansiedade, raiva e pode desmaiar.

Em suma podemos afirmar que nos casos de pedofilia os principias agressores são os familiares ou conhecidos da vítima, dificultando assim a denúncia e investigação.

Pedofilia não é problema de um,

Todo o cuidado é pouco!

É problema de todos!

Diga não à pedofilia!

Juntos,
somos mais FORTES.

Segundo as palavras da Conferencista, 90% das mães sabem, fingem que vêem, colocam os filhos pra fora de casa, ou seja, são concordantes com os pedóliflos preferindo com isso ficarem com seus parceiros sexuais e se submetendo às bárbaries cometidas por eles. Inclusive tem muitas mães que acursam os seus filhos a seduzirems os seus parceiros.  

Imaginem caro leitor enquanto você está lendo este artigo quantas crianças não estão sendo vítimas de pedófilos, por isso se você tomar conhecimento de algum caso de pedofilia DENUNCIE junto ao Conseho Tutelar, Ministério Público, Polícia. Se por qualquer problema você não puder fazer a denuncia, peça a qualquer outra pessoa de sua confiança para que faça a DENÚNCIA.

Em resumo destacamos "que o tema da pedofilia exige a soma de esforços de muitas instituições, da polícia, da justiça, das organizações governamentais e não governamentais, locais, estaduais, nacionais, estrangeiras e internacionais. Ademais, somente uma abordagem multidisciplinar pode fazer frente às questões científicas que a pedofilia, o sujeito pedofílico e suas vítimas suscitam. Nesse aspecto, tanto o direito quanto a psicologia e a sociologia estão sendo urgentemente convocados a integrarem um novo território epistemológico a serviço da pessoa humana, da saúde e da justiça."